Países da Unasul enviam ministros a Assunção para apoiar Lugo

do portal vermelho

Os países da Unasul decidiram em reunião de emergência no Rio de Janeiro enviar uma comissão formada por ministros das Relações Exteriores para garantir a continuidade do governo constitucional de Fernando Lugo. As hastags #Lugo e #Paraguai estão entre os assuntos mais mencionados na rede de microblog Twitter no Brasil nesta quinta-feira (21).

A decisão foi comunicada pelo chanceler brasileiro, Antonio Patriota, na Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, Rio+20. Representantes de governos de esquerda presentes no ato internacional, na tenda Milton Santos, na Cúpula dos Povos, aplaudiram a iniciativa do governo brasileiro.

Leia também:
Governo brasileiro considera que impeachment é golpe de Estado
A medida foi tomada após o Congresso paraguaio aprovar, na manhã desta quinta-feira (21), um pedido de impeachment contra Lugo após a morte de nove camponeses durante um conflito agrário na cidade de Curuguaty, a 250 quilômetros da capital. Os presidentes da Unasul, a maior parte ainda presentes à conferência da ONU, decidiram se reunir por iniciativa da Colômbia, que ocupa a presidência temporária da união.


Defesa

Decisão do Senado tomada na tarde desta quinta-feira (21), determinou que o mandatário terá duas horas nesta sexta-feira (22) para apresentar sua defesa. A sessão começa às 13h (horário de Brasília), quando seus advogados poderão fazer sua defesa diante do Congresso. Às 15h30, o Senado avaliará as provas e finalmente às 17h30 será emitida a sentença.

Ainda nesta quinta-feira (21), às 19 horas serão conhecidos os fiscais que deverão apresentar a acusação contra Lugo ao Senado. Presidentes da Unasul também declaram que não reconhecerão o resultado deste processo.

Segundo Patriota, a missão foi aprovada com base no protocolo de constituição da Unasul, que prevê um compromisso regional com o cumprimento da democracia. “Os presidentes consideram que os países da Unasul conquistaram com muito esforço a democracia, e nesse sentido devemos todos ser defensores da estabilidade democrática”, diz o comunicado lido pelo chanceler. Ele integra a missão que parte ainda nesta tarde para Assunção.

Para o governo brasileiro, embora ainda ninguém do entorno da presidenta Dilma Rousseff fale em público, o impeachment de Lugo teria o efeito de um golpe de Estado – pela rapidez e forma com que está sendo conduzido. O Brasil deverá reagir condenando tal desfecho.

A Unasul é formada por Argentina, Bolívia, Colômbia, Chile, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

Crise política

Ao menos cinco ministros paraguaios já renunciaram aos cargos após a Câmara dos Deputados ter aprovado, por 76 votos a 1, o pedido de impeachment de Lugo. Segundo a imprensa paraguaia, todos são filiados ao Partido Liberal, que era da base do governo, mas se somou, nesta quinta (21) pela manhã, aos parlamentares favoráveis à abertura do processo político contra o presidente.

Da Redação do Vermelho,
com informações da Rede Brasil Atual

*Texto modificado às 17h35 para acréscimo de informações

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s