Venezuela já está integrada ao Mercosul, diz chanceler venezuelano

do site opera mundi

 O ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou hoje (3/8) que seu país passa por um processo avançado de integração com o Mercosul, apesar de ainda não ser um membro pleno. 

“Já somos parte das estruturas deste Mercosul que se diversificou e se ampliou. Estamos em um processo avançado de integração em todos os níveis”, disse durante sessão na 39ª Cúpula do Mercosul, da qual participam representantes de Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Há seis anos, a Venezuela é Estado associado do bloco. Com a aprovação do Senado brasileiro em dezembro do ano passado e da Argentina e do Uruguai, a entrada no bloco como membro pleno, proposta em julho de 2006, aguarda discussão e votação no parlamento do Paraguai.

Leia mais:
Análise: Por que Chávez rompeu relações com a Colômbia
Embaixador da Venezuela protesta contra editorial do Estadão
Amorim reitera compromisso do Brasil com a integração regional
Chanceler de Chávez negocia plano de paz e acusa Estados Unidos de insuflar a guerra

Maduro disse também que a participação de seu país no bloco também “adere à fortaleza econômica, energética, política e geopolítica da região” e que “a necessidade de avançar na aprovação por parte de nossos irmãos paraguaios no protocolo de adesão, elemento importante do ponto de vista formal e legal, não prejudicou o processo de integração”.

“Somos ou não somos? Eu diria que somos Mercosul”, afirmou, referindo-se ao fato de participarem não apenas de atividades comerciais, mas também de comitês, comissões e decisões políticas.

Segundo dados oficiais citados pela AVN (Agência Venezuelana de Notícias), a atividade comercial entre a Venezuela e o bloco passou de dois bilhões de dólares há seis anos, para 28 bilhões de dólares em 2009. Fornecedor de petróleo, o país tem também relações energéticas com Uruguai, Paraguai e Argentina.

Integração

O Senado do Paraguai votará na quinta-feira (5/8) a adesão definitiva do país à Unasul (União das Nações Sul-Americanas). A decisão foi adotada ontem durante uma reunião entre deputados e senadores, segundo a Agência de Informação Pública Paraguaia.

Se aprovada, o Paraguai será o sétimo país a ratificar o Tratado Constitutivo do bloco regional, do qual já são signatários Bolívia, Guiana, Venezuela, Peru, Equador e Argentina.

Para sua vigência plena, o Tratado precisa ser aprovado por pelo menos nove dos doze países membros da Unasul – Bolívia, Equador, Peru, Brasil, Argentina, Paraguai, Colômbia, Uruguai, Venezuela, Chile, Guiana, Suriname. Panamá e México são observadores.

O Tratado Constitutivo da Unasul foi assinado em Brasília, em maio de 2008, e estabeleceu oficialmente a integração econômica da América do Sul na forma do bloco econômico. Ou seja, os membros do Mercosul mais os da CAN (Comunidade Andina de Nações) uniram-se ao Chile, ao Suriname e à Guiana numa zona de livre comércio.

Siga o Opera Mundi no Twitter

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s