Chávez ameaça cortar relações com Colômbia

do site do Jornal de Noticias (Portugal)

Presidente Uribe pediu investigação à Organização de Estados Americanos

A tensão entre a Venezuela e a Colômbia aumentou, depois de Uribe acusar a presença de guerrilheiros das FARC em território venezuelano. Chávez reagiu: não estará presente na tomada de posse de Juan Manuel Santos e ameaça romper relações com o país vizinho.

Entretanto, o Governo colombiano revelou, ontem, ter pedido à Organização de Estados Americanos (OEA) uma sessão extraordinária do seu conselho permanente para debater e “examinar a presença de terroristas colombianos em território venezuelano”. A OEA já respondeu e aceitou o pedido. A sessão extraordinária ficou marcada para o próximo dia 22.

Em comunicado oficial da presidência colombiana, a solicitação foi “antecedida de inúmeros esforços falhados para solucionar este grave problema através do diálogo directo com a Venezuela”.

Bogotá sublinha ainda que se trata de um “tema abordado em reuniões privadas dos presidentes” da Venezuela e da Colômbia, e que o Governo colombiano “pediu, inclusive a terceiros países para serem auxiliares do diálogo, entre eles Espanha, Cuba e Brasil”.

Aliás, segundo o mesmo texto, o presidente dominicano, Leonel Fernández, chegou a ir à fronteira entre os dois países, na tentativa de amenizar a tensão, mas sua acção “foi desautorizada pelo Governo da Venezuela”.

Num momento em que Juan Manuel Santos se prepara para assumir a Presidência colombiana, em substituição de Álvaro Uribe, a tensão diplomática entre os dois países agrava-se.

Caracas já retirou o seu embaixador em Bogotá, Gustavo Márquez, um dia depois das acusações. Desta feita, o Governo colombiano diz ter provas da presença de chefes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia e do Exército de Libertação Nacional no país de Chávez.

O líder da Venezuela nega todas as acusações e acusa Álvaro Uribe de ser um “mafioso capaz de qualquer coisa”, incluindo ordenar o assassinato de Chávez.

O presidente explica ainda que a sua ausência na tomada de posse de Juan Manuel Santos, que irá sustituir Alvaro Uribe na presidência da Colômbia, no dia 7 de Agosto,  se deve ao risco que a sua própria vida corre naquele país. Para já, Chávez frisou que as diferenças entre Uribe e o seu sucessor são “evidentes”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s