Palestina recebe Fórum Mundial da Educação

do site da revista Forum

Por Redação [Sexta-Feira, 11 de Junho de 2010 às 18:08hs]

Entre os dias 28 e 31 de outubro, a Palestina recebe o Fórum Mundial da Educação (FME). Como parte da programação estendida do Fórum Social Mundial (FSM) deste ano, o FME concentrará os debates sobre outras formas de educação para um novo mundo possível.

O povo palestino, que não tem um Estado reconhecido, sofre com a ausência de uma rede básica educacional para sua formação. A ocupação israelense e a falta de uma regularização do Estado desde 1948 têm levado sistematicamente a população a ter negados seus direitos mais básicos, com restrição da mobilidade por conta do cerco e dos pontos de vigilância militar de Israel.

De acordo com a organização do FME, o objetivo do encontro é recuperar o conceito de educação como um direito humano fundamental e chave para o desenvolvimento sustentável para a consolidação do processo paz e na estabilidade entre países.

A realização do Fórum na Palestina, segundo a organização, também indica uma determinação da população da região em lutar conta a ocupação israelense. A organização internacional do FME já se posicionou “contra as agressões da população de Gaza e o avanço do cerco à região”.

Os debates vão girar em torno dos eixos Educação, Arte, Cultura e Identidade; e Educação como Ferramenta para a Libertação Humana. Dentro do primeiro eixo, os debates abordarão os seguintes sub-temas: estratégias criativas de educação, arte na educação, arte e educação como manifestação da identidade, cultura popular e identidade nacional, arte e extração de informação de programas educacionais, arte e cultura numa abordagem holística da educação, educação como ferramenta para reforçar ou suprimir identidades. Para o segundo eixo, os debates devem abordar a educação para o pensamento crítico.

Educação palestina
A Palestina foi o único país no mundo, segundo a Unesco, onde um Ministério da Educação foi construído das ruínas. O interesse da comunidade internacional e a cooperação de diversos países colaborou para a construção de escolas e na elaboração de políticas educacionais como, por exemplo, no treinamento de professores. Há um diálogo entre o Ministério da Educação palestino e a ajuda internacional de cooperação no desenvolvimento educacional da região. Porém, existe sempre o temor de que o estouro de um novo conflito armado destrua a estrutura construída para a educação do povo palestino.

De acordo com os últimos dados da Unesco, de 2007, a Faixa de Gaza mantinha cerca de 3,15 milhões de palestinos, sendo que um terço desta população é composto por estudantes em idade para frequentar a escola. Apesar dos inúmeros percalços em sua história, os palestinos sempre foram conhecidos como um povo com alto nível de educação – a média de anos passados nos bancos escolares é de 10 para cada palestino.

ImprimirEnviar por e-mailRedação

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s