Governo boliviano fará com que desclassifiquem arquivos militares

da prensa latina

 
Escrito por Beatriz Quintana Valle   
 
A ministra de Justiça da Bolívia, Nilda Copa, disse que fará cumprir as ordens judiciais para a desclassificação dos arquivos e o levantamento do segredo militar sobre a ditadura de 1980.  A titular manifestou que a população tem direito a aceder à informação sobre as ações realizadas durante o regime de [facto] de Luis García Meza e as desaparecimentos de pessoas.Entre elas o líder da Partida Socialista, Marcelo Quiroga Santa cruz.Copa precisou que esperará um tempo prudente para que o Comando em Chefe das forças Armadas (FORÃ�AS ARMADAS) se pronuncie sobre as instrutivas da Corte Suprema de Justiça e do juiz [Róger] Valverde.

Além disso insistiu em que o Executivo está obrigado a que se cumpra a Constituição Política do Estado (CPE).

Segundo sua opinião, não é possível que na atualidade haja instituições como as Forças Armadas que fechem suas portas e ponham impedimentos ao estabelecimento da verdade sobre o sucedido durante o governo de facto de Luis García Meza.

Nesse sentido, Copa mencionou que fará um seguimento mais próximo sobre o que suceda no caso de uma possível desobediência a ordens judiciais, tomando em conta que o Ministério da Justiça foi um dos promotores para a abertura dos arquivos da ditadura.

A titular de Justiça lembrou que todas as autoridades, sejam civis ou castrenses, têm que estar conscientes que a Carta Magna estabelece que qualquer pessoa tem direito a aceder a dados das instituições do Estado.

Por sua vez, a Sala Penal Terceira da Corte Superior de Justiça da Paz rejeitou outra apelação do Comando em Chefe das forças Armadas (FORÃ�AS ARMADAS) contra a [potestad] judicial outorgada ao Ministério Público sobre o acesso e a recepção dos arquivos classificados da ditadura de 1980.

O fiscal Milton Mendoza, membro da comissão investigadora, explicou que o novo erro corrobora as outras resoluções relacionadas com as instrutivas para que se desclassifique a informação e se dê um ingresso irrestrito aos lugares em que estão guardados documentos.

Mendoza disse que esperará que o chefe das FORÃ�AS ARMADAS, general Ramiro da Fonte, seja notificado, para que depois se lhe exija o cumprimento da ordem emitida há várias semanas pelo juiz Valverde.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s