Escola Florestan Fernandes comemora cinco anos

do site do Brasil de Fato

Entre abraços, um churrasco, pacote de livros, cartazes e jornais, ao som das mil músicas o dia se encerrou com toso se programando para o décimo, o vigésimo e o centésimo aniversário

11/02/2010

Vito Giannotti

Sábado dia 6 de fevereiro a Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) fez um grande encontro para comemorar os 5 anos de atividade. Havia mais de 500 pessoas presentes entre ex-alunos, jovens do MST e de outros movimentos sociais que passaram pela Escola e professores, apoiadores e formadores político-sociais de vários estados do País e do exterior.
O clima geral era de alegria e reafirmação das idéias político-pedagógicas da Escola. Desde a entrada do sítio onde estão os vários edifícios construidos em mutirão pelos alunos durante os cinco anos grandes estandartes mostravam aos quatro ventos a ideologia a política e os sonhos da Escola.
Bandeiras do MST se alternavam com banners de Rosa, Lenin, Agostinho Neto, José Mariategui, Che Guevara, Marighella, Frei Tito, Roseli Nunes, Mao, e pairando aicma de todos Florestan fernandes. Militantes do MST formavam cenas vivas, quase fossem estátuas representando o Trabalho da cidade e do Campo, o Estudo como valor central da Escola e de qualquer atividade política, a Produção um dos objetivos da Escola. Tudo isso vivido num clima de festa, com muitas músicas e cantoria dos inúmeros grupos de cantores que o MST desperta pelo Brasil afora.

Mas não foi só festa. Durante quase quatro horas os 500 presentes ouviram trê palestras de avaliação/comemoração dos cinco anos, mas que na verdade foram três aulas de ideologia e formação política concentrada. Os três palestrantes foram: Isabel Monal, revolucionária, filosofa e formadora na Universidade de Cuba, Luiz Carlos de Freitas, professor da UNICAMP e um dos fundadores e apoiadores desde sempre da Escola, e Ademar Bogo, da Direção do MST.

Participaram militantes de vários movimentos, do Tocantins ao Rio Grande do Sul, passando por quase todos nossos estados. Houve delegados internacionais mostrando o reconhecimento que a ENFF tem no mundo e seu valor de exemplo.

Ao final, José Arbex, intimamente ligado à Escola concretizou a proposta de se criar uma rede de apoio à ENFF. O objetivo é garantir a vida econômica da Escola e o primeiro passo é criar um rede de Amigos da ENFF que contribuam mensalmente com a quantia básica de R$ 20,00. Entre abraços, um churrasco, pacote de livros, cartazes e jornais, ao som das mil músicas o dia se encerrou com toso se programando para o décimo, o vigésimo e o centésimo aniversário.

Vito Giannotti é membro do conselho editorial do Brasil de Fato e coordenador do Núcleo Piratininga de Comunicação

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s