As mães de maio lutam como mulher e mãe

Do Conversa afiada 

11/dezembro/2009 19:25

Demora, mas eles acabam na cadeia (como na Argentina)
Demora, mas eles acabam na cadeia (como na Argentina)

 As mães da Plaza de Mayo, na Argentina ajudaram a colocar os torturadores do regime militar na cadeia. 

 As daqui podem começar a fazer. 

 Leia a entrevista que Paulo henrique Amorim fez com os procuradores federais de São Paulo Marlon Alberto Weichert e Eugênia Augusta Fávero
Ação histórica: procuradores desafiam a Lei da Anistia
 

________________________________________
Mensagem original
De: Mães de Maio < maesdemaio@gmail.com >
Para: undisclosed-recipients
Assunto: IMPERDÍVEL DIA 17/12: “LUTO COMO MULHER, LUTO COMO MÃE”
Enviada: 11/12/2009 13:23
Rede de Comunidades e Movimentos Contra Violência (RJ) e Mães de Maio (SP) convidam:

LUTO COMO MULHER, LUTO COMO MÃE

– Lançamento em São Paulo do livro “Auto de Resistência – Relatos de familiares e vítimas da violência armada” e Exibição do filme “Luto como Mãe” –  

 

Quinta-feira, dia 17/12, às 18:00hs no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

 Debate com a participação de: 

 Mães de Vítimas do Estado no Rio de Janeiro
Rede de Comunidades e Movimentos Contra Violência (RJ)
(co-autoras do livro e participantes do filme) 

 Débora Maria Silva
Mães de Maio (SP) 

 Rose Nogueira
Grupo Tortura Nunca Mais (SP) 

 Tatiana Merlino
Núcleo Memória e Revista Caros Amigos (SP) 

 Ao final do debate e da exibição do vídeo haverá um pequeno coquetel e a sessão de autógrafos dos livros com as Mães do Rio. 

 O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Paulo
fica na Rua Rego Freitas,530 – Sobreloja – Campos Elíseos
Telefone para contato:                  11-3217-6299   11-3217-6299          11-3217-6299 

 MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O LIVRO E O FILME: 

 “AUTO DE RESISTÊNCIA – Relatos de Familiares e Vítimas da Violência Armada” 

 “Auto de Resistência” foi escrito por vinte e um familiares de vítimas da violência no Rio de Janeiro. Mães, esposas e irmãs cujo sofrimento conta uma parte da história da cidade, envolvendo chacinas, sequestros, omissão e impunidade. Mas este não é um livro de denúncias ou um relato de tragédias individuais: é antes um grito contra a indiferença e a banalização do horror. Mostra a força de quem resiste, de quem não se intimida e utiliza o próprio sofrimento para prevenir o sofrimento alheio; de quem tem coragem e vontade de aprender e de transformar. 

 ISBN: 9789575776046
IDIOMA: Português.
ENCADERNAÇÃO: Brochura  | Formato: 21 x 21  | 164 págs.
ANO EDIÇÃO: 2009
ORGANIZADOR: Tatiana Moura | Carla Afonso | Barbara Musumeci Soares
AUTOR: Marcia Oliveira Silva Jacintho | Roberto Wilson Bastos | Elizabeth Medina Paulinho | Maria da Penha Sousa Silva | Denise Alves Tavares | Vilma Jurema Carvalho de Mello | Dulcinea da Silva Sipriano | Patricia de Oliveira da Silva | Jose Luiz Faria da Silva | Julia Preciliana Procopio | Euristea Sant’Anna de Azevedo | Siley Muniz Paulino | Regina Celia de Oliveira Lacerda | Patricia de Jesus | Ana Amelia Silva Rocha | Marilene Lima de Souza 

 LUTO COMO MÃE
(Luís Carlos Nascimento, Rio de Janeiro, 2009) 

 A cidade do Rio de Janeiro, Brasil, é palco de execuções sumárias e arbitrárias cometidas por agentes do Estado. Cada morte arrasta consigo a dor de quem fica, afetando todo o seu círculo social, especialmente a família e amigos. O documentário “Luto Como Mãe” centra-se nas histórias destes sobreviventes, maioritariamente mulheres, e no seu rito de passagem do luto à luta por justiça e contra a invisibilidade. 

Mais informações: www.lutocomomae.com  

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s